sankofa - retorna à página inicial

sobre sobras

2013

Trabalho realizado durante a residência MOLA em Arraial D'Ajuda/BA, em parceria com Laís Guedes, Anibal Sandoval e Lucas Moreira Lucas Moreira

"Na fronteira entre o centro turístico e o bairro, a ação violenta da polícia com cassetetes e armas à mostra prontas a disparar em nossas cabeças o corpo roto, rasgado, espancado de quem fazia fogo ameno. Homens vagabundeadores que recebem o vômito azedo da disciplina habitual no exercício da civilidade. Encontramos uma terreira de chão preto queimado. Os urubus sobrevoando. Recolhemos ossos, muitos, destroçados, ocos, porosos, no exercício da putrefação, na digestão feita pelo sol, pelos animais, pelos ventos. Retornamos com quilos de ossos, sobras de açougue, com carne ainda em decomposição. Materialidades abjetas que encantam pela peste. Devoradas pelo sol estão as pessoas e suas câmeras, ações transtornadas na presença sempre arrogante da polícia. Invocamos na cidade de Arraial d’Ajuda uma maldição, ainda que temporária, de suspensão do tempo por instantes de devaneio e de realidade metamorfoseada, metaforizada e encarnada. O cheiro da carne e da carniça me atrai. Assim como as moscas, os urubus e os cães perebentos a quem dou de comer. Me dou de comer. A polícia tenta prender os corpos pelados, só que eles escapam porque são escorregadios..."

(Texto sobre a ação publicado no catálogo da residência)